Rui Oliveira – Cartão de Cidadão tem agora tecnologia 100% portuguesa

Rui Oliveira

Até 2017 o algoritmo usado no chip de identificação do cartão de cidadão era adquirido a uma empresa estrangeira. Com este projeto foi possível desenvolver tecnologia 100% portuguesa que está já a ser usada nos novos cartões.​


Rui Oliveira, investigador do INESC TEC e docente da Universidade do Minho (UM), foi convidado pela Imprensa Nacional – Casa da Moeda (INCM) para desenvolver um algoritmo capaz de fazer a identificação match on card dos dados biométricos presentes no cartão de cidadão.

“A introdução do cartão de cidadão em Portugal veio substituir o bilhete de identidade e o cartão de cidadão introduz tecnologia nova, tecnologia essa que desde a introdução do cartão de cidadão era tecnologia estrangeira, completamente importada, quer o cartão em si, quer o próprio algoritmo que corre no cartão”, explica

Por este motivo a Imprensa Nacional – Casa da Moeda entendeu que seria importante quer por questões económicas, quer por questões de soberania, desenvolver uma solução nacional que garantisse o controlo completo do código fonte do algoritmo do cartão de cidadão.

“Com o desenvolvimento deste projeto foi possível que cartões de cidadão que até finais de 2016, e inícios de 2017, eram todos de tecnologia estrangeira, tecnologia essa que não era controlada por Portugal – não conhecíamos o algoritmo que era executado dentro dos nossos cartões – a partir de 2017 passa-se a ser tecnologia nacional, sob controlo nacional, que pode ser reutilizada noutros cenários em que o match on card seja necessário”, salienta.

Esta tecnologia pode ser encontrada neste momento em qualquer cartão de cidadão que seja produzido pela Imprensa Nacional – Casa da Moeda.

Saiba mais sobre o investigador em: HASLab

Publication date: January 25, 2019

Publication media: 90 Segundos de Ciência