Rede social para doentes oncológicos (COMPUTERWORLD)

A FalarSobreCancro tem 400 membros registados e foia concebida para ser plataforma de interação para a comunidade oncológica, incluindo investigadores e voluntários.

O Instituto Português de Oncologia do Porto apresentou aos seus pacientes a FalarSobreCancro.org, rede social projectada para ser suporte de troca de informações e experiências, sobretudo entre doentes oncológicos. No momento de divulgação, esta quinta-feira, tinha 400 membros registados.

A rede não deixa de ser pública e gratuita e a organização gestora pretende que seja “um meioprivilegiado de interacção a comunidade oncológica, nomeadamente doentes, familiares, amigos, profissionais de saúde, investigadores e voluntários”.

Uma das suas componentes é o “Boletim Clínico” gerido apenas pelo IPO-Porto e que integra conteúdos clínicos e científicos que só podem ser publicados por profissionais de saúde devidamente habilitados. Depois de registado na rede um utilizador pode conhecer a actividade de cada utilizador, interagir em grupos temáticos (medicinas alternativas, cancro da mama, entre outros).

O cancro é a segunda maior causa de morte em Portugal e aquilo que assistimos, cada vez mais, é a um aproveitamento enorme da dor e do desespero do paciente por parte de terceiros, potenciado pela quantidade de ‘desinformação’ que a Internet muitas vezes nos fornece, assinala Rui Oliveira, administrador do INESC TEC e docente da Universidade do Minho.

Com Nuno Martins, docente do IPCA, é responsável pelo desenvolvimento da plataforma e diz que esta deverá ser uma rede de contacto entre pessoas com acesso a profissionais de saúde que dissipem algumas dúvidas e esclareçam a veracidade de algumas matérias.

O projecto nasceu no âmbito da tese de doutoramento de Nuno Martins que estudou o trabalho de comunicação de cidadãos e instituições na luta contra o cancro através dos media participativos online.

Publication date: January 21, 2016

Publication media: COMPUTERWORLD