Portuguesa recebe €1,5 milhões para programar sistemas de redes complexos (Exame Informática)

A investigadora Alexandra Silva recebeu a verba do Conselho Europeu de Investigação para estudar, durante os próximos cinco anos, os fundamentos de um novo paradigma de sistemas de redes.

Alexandra Martins da Silva, investigadora do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC) e professora associada na University College London, recebeu um financiamento de €1,5 milhões do Conselho Europeu de Investigação para programar sistemas de redes complexos. Esta área está ligada à Engenharia de Software e lida com tecnologias e práticas que envolvem linguagem de programação, bancos de dados, bibliotecas, ferramentas, plataformas, padrões, processos e questões relacionadas com a qualidade de software.

De acordo com o comunicado de imprensa do INESC TEC, o trabalho que a investigadora vai desenvolver nos próximos cinco anos tem como objetivo “projetar novas ideias provenientes de programação, lógica e verificação para a programação de redes” e irá decorrer na University College London. Refira-se que a bolsa do European Research Council (ERC) providencia os meios para se formar um grupo de investigação composto por dois investigadores pós-doutorados e dois doutorandos.

Alexandra Silva tem 31 anos, licenciou-se em 2006 em Matemática e Ciências da Computação na Universidade do Minho e doutorou-se com distinção cum laude – atribuída apenas em 5% dos casos – na Universidade de Nijmegen (Holanda).

Em 2013, tornou-se a primeira mulher a vencer o Prémio Científico IBM com o trabalho “Coálgebra de Kleene”, onde criou linguagens de especificação rigorosas para descrever/prescrever e verificar o comportamento de vários modelos de computação.

Publishing media: November 23, 2015

Publication media: Exame Informática