Cidades inteligentes são boas mas «paraísos para mal-intencionados (Diário do Minho)

Gilles Barth

O auditório da Escola de Engenharia da Universidade do Minho, em Gualtar, acolheu, ontem, a lição inaugural da Cátedra PT-FLAD em Cidades e Governação Inteligentes. Na sua intervenção, Gilles Barthe, do IMDEA Software Institute, de Espanha, lembrou que as cidades e governação inteligentes são coisas boas, mas ao mesmo tempo são um «paraíso para mal-intencionados».

A falar, em português, para uma plateia constituída sobretudo por docentes e doutorandos da UMinho, este especialistas deu conta das várias áreas em que os «criminosos» informáticos ou simplesmente mal-intencionados podem atuar.

A aula de Gilles Barthe teve como tema “High-Assurance Software for Security and Privacy”. E deu alguns exemplos, como nos transportes, com softwares sofisticados e ao mesmo tempo vulneráveis, onde os "hackers" podem atacar, através de "hijacking"; na saúde, onde podem ser roubados dados dos doentes, para chantagens e outros fins.Aliás, este é um tema de grande atualidade em Portugal, por causa dos doentes oncológicos.

Cópia de cartões e fraudes no voto No entanto, a área em que provavelmente o público está mais familiarizado é nos bancos, com cópias de cartões de crédito e o chamado "phishing", ou seja, roubo de dinheiro das contas. Outra área de grande atualidade é a fraude no voto eletrónico, pelo que se passou nas eleições norte-americanas.

licao inaugural

O catedrático explicou que a grande prioridade de informáticos, criptógrafos e matemáticos é fazer com que as sociedades, cidades e governação inteligentes, desfrutem das modernas tecnologias, sem pôr em causa a segurança e a privacidade.

Mesmo reconhecen do a dificuldade em conciliar o melhor dos dois mundos, considera que «há fundadas esperanças» em desfrutar da tecnologia em segurança.Depois da aula, seguiu-se uma mesa redonda com Mário Moreira, do Centro de Estudos de Telecomunicações da Altice Labs; Henrique Santos, do Centro Algoritmi da UM, e José Nuno Oliveira, do Laboratório de Software Confiável (HASLab) da UM e do INESC TEC

Publication date: February 2, 2017

Publication media: Diário do Minho