Alexandra da Silva em projecto de 1,5 milhões de euros (ComputerWorld)

A investigadora portuguesa vai desenvolver um estudo sobre a área de engenharia de software, focado em programação de redes.

A professora associada da University College London, Alexandra Martins da Silva, recebeu do Conselho Europeu de Investigação uma bolsa de 1,5 milhões de euros para o estudo da programação de sistemas de redes complexos. O financiamento providencia os meios para formar um grupo de investigação composto por dois investigadores pós-doutorados e dois doutorandos, especifica um comunicado.

Segundo o INESC-TEC, da qual é investigadora, Alexandra da Silva pretende desenvolver nos próximos cinco anos um trabalho cujo objectivo é “projectar novas ideias provenientes de programação, lógica e verificação para a programação de redes”. O estudo será realizado na instituição londrina.

“O mundo está cada vez mais conectado e com redes mais complexas, pelo que aquilo que pretendemos fazer no longo prazo é facilitar as tarefas diárias das pessoas e oferecer garantias de fiabilidade dos sistemas usados”, explica a investigadora do Laboratório de Software Confiável (HASLab-INESC TEC), na Universidade do Minho.

Do ponto de vista científico, esta área engloba o uso de modelos precisos e abstractos, explica a nota.

Alexandra Silva, com 31 anos de idade, dedica-se ao estudo de modelos abstractos, mais precisamente na área dos métodos formais que tem como objectivo especificar, desenvolver e verificar sistemas de software e hardwares fiáveis.

Alexandra Silva já criou linguagens de especificação rigorosas para descrever/prescrever e verificar o comportamento de vários modelos de computação, num estudo anterior.

Em 2011, foi a primeira mulher a receber o Prémio Científico IBM, em Portugal, tendo apresentado o trabalho “Coálgebra de Kleene”, onde generalizava um dos maiores resultados das ciências da computação – o teorema de Kleene. Com esse trabalho, Alexandra Silva criou linguagens de especificação rigorosas para descrever/prescrever e verificar o comportamento de vários modelos de computação.

A docente doutorou-se com distinção “cum laude”, atribuída apenas em 5% dos doutoramentos, na Universidade de Nijmegen (Holanda). Licenciou-se durante 2006, em matemática e ciências da computação na Universidade do Minho.

Publishing date: November 25, 2015

Publication media:ComputerWorld